Planejamento Estratégico | 7 MINUTOS PARA LER

Benchmarking: o que é, como funciona e por que aplicar

benchmarking

Existem várias ferramentas estratégicas que têm como objetivo aumentar os lucros e a produtividade de uma empresa. Cada uma delas conta com características específicas que as diferenciam entre si.

O Benchmarking é uma dessas ferramentas e busca novas formas de melhorar os processos e obter um crescimento relevante para o seu negócio. Tudo isso, por meio de referências de empresas do mesmo segmento.

Quer entender melhor o que é o benchmarking e como fazer uma aplicação de sucesso? Continue a leitura, preparamos um conteúdo com as principais informações sobre essa estratégia. Vamos lá!

Conteúdo

O que é benchmarking?

O termo “benchmarking” pode ser traduzido para o português como “ponto de referência” e trata-se de uma ferramenta que busca por meio de processos de pesquisa oferecer uma melhor avaliação do desempenho de empresas.

A característica principal da tarefa é que essas pesquisas são realizadas entre empresas do mesmo segmento, a fim de fazer uma comparação. Assim, podem analisar o seu produto ou serviço em relação aos concorrentes.

Logo, o benchmarking serve como monitoramento do mercado em que se está inserido, podendo coletar dados importantes e utilizar as informações com sabedoria para a evolução da empresa em questão.

Por isso o termo “benchmark”, os dados coletados nas pesquisas serviram como referência para a tomada de decisões, início de novos projetos e desenvolvimentos para o negócio.

Tipos de benchmarking

Para compreender melhor essa ferramenta é preciso conhecer quais são os tipos de aplicação do benchmarking. Confira como cada um pode ajudar na evolução do seu negócio:

Benchmarking competitivo:

O objetivo nesse caso é que os concorrentes sirvam como referência, pesquisando como eles se posicionam e demais dados importantes para análise, como por exemplo o faturamento divulgado.

Benchmarking genérico:

Enquanto isso, o benchmarking genérico é a aplicação para encontrar melhorias analisando empresas com processos semelhantes, mas que não necessariamente vendem o mesmo produto ou serviço que o seu.

Benchmarking funcional:

Já no funcional, não é necessário que a pesquisa seja feita de empresas semelhantes ou do mesmo segmento. A ideia é buscar referências em etapas que dizem respeito ao funcionamento, como por exemplo a parte financeira.

Benchmarking interno

No benchmarking interno é avaliado cada um dos setores da empresa, de forma individual, comparando então o rendimento das áreas e pensando em melhorias para que todas sejam produtivas igualmente.

Benchmarking de cooperação:

Esse caso serve para as empresas com parceria entre si, ambas podem trocar dados e dicas para corrigir erros que possam existir em algum dos lados, mas ser sucesso na outra parte.

Por isso, no benchmarking tipos diferentes de aplicação podem render resultados específicos para o que a empresa precisa. O profissional precisa avaliar qual a melhor forma para o negócio em questão.

Por que aplicar o benchmarking na sua empresa?

O conhecimento dos pontos fortes e fracos do seu negócio é essencial para o desenvolvimento, porém apenas identificá-los pode não ser o suficiente para gerar melhorias relevantes.

Por isso, o benchmarking traz como base a comparação entre empresas semelhantes, para que possa haver uma comparação entre o seu serviço ou produto oferecido e o de seu concorrente.

A comparação nesse caso não deve ser vista como algo ruim, mas sim como uma forma de adquirir insights para corrigir os erros e implementar os processos em busca do sucesso.

Para isso, é necessário o olhar criterioso dos profissionais envolvidos, sabendo que não necessariamente você deve seguir o mesmo rumo do seu concorrente, mas sim saber utilizar as referências como estratégias de desenvolvimento.

Logo, essa ferramenta oferece diversos benefícios aos seus usuários, como a identificação de novas tendências, conhecer práticas de bons resultados e reconhecer as mudanças necessárias.

Quais são os princípios do benchmarking?

Para garantir que o benchmarking seja um processo ético, existem alguns princípios que devem ser seguidos pelos profissionais da área. Veja quais são:

Coleta de dados legais

Um dos grandes princípios do benchmarking é que a coleta de dados seja feita totalmente dentro da legalidade, ou seja, com a permissão da empresa. Para que isso aconteça, muitas vezes pode ser necessário a solicitação de informações.

Confidencialidade de informações

Além da legalidade, é necessário que as informações sejam utilizadas apenas para análises e estudos que buscam a evolução do negócio. Não faz parte dos princípios do benchmarking usar os dados para prejudicar concorrentes.

Profissionais especializados

A escolha de profissionais especializados para a realização das tarefas de benchmarking é essencial para garantir que os demais princípios sejam seguidos, oferecendo mais segurança para a coleta de informações e para que os dados não vazem.

Conhecimento da área

Para que o benchmarking ofereça bons resultados a empresa, o conhecimento sobre a ferramenta é indispensável. Afinal, é preciso saber quais são os dados desejados, quais os modelos de pesquisa e o que fazer com as informações.

Como fazer benchmark?

Como pode perceber o benchmarking trata-se de um conceito simples que tem como objetivo estudar referências e por meio delas desenvolver estratégias para o crescimento da empresa.

Na prática, pode-se dizer que no benchmark exemplos de sucesso envolvem diferentes ações que podem ser realizadas pela marca. Por isso, podemos citar como opção:

  • Pesquisas de campo;
  • Eventos;
  • Mentorias;
  • Visitas às empresas semelhantes.

Para entender melhor como funciona o benchmark, confira abaixo quais são as principais etapas do processo que serve como referência para construir melhorias no seu negócio.

benchmarking ou benchmarketing

Quais são as 5 fases do processo de benchmarking?

Para fazer um benchmarking de sucesso, algumas etapas são essenciais para garantir que o processo renda bons resultados a empresa interessada. Saiba agora quais são as cinco fases que não podem faltar nessa ferramenta:

1. Seleção dos concorrentes

O primeiro passo para começar o processo de benchmarking é selecionar quais serão as empresas concorrentes que vai monitorar. Para fazer essa escolha, deve-se levar em conta qual o tipo de aplicação desejada pelo contratante.

Ou seja, selecionar se o monitoramento acontecerá com empresas semelhantes ao seu segmento ou de outro setor, mas que podem ser referência como funções de gestão.

A dica é escolher entre um e três concorrentes para coletar dados e direcionar caminhos de melhoria a partir dos insights conquistados nas pesquisas de benchmarking.

2. Escolher os indicadores a serem analisados

Depois de selecionar as empresas concorrentes que serão monitoradas, é hora de escolher quais os indicadores que serão utilizados para a comparação. Os critérios avaliados devem ser de interesse do seu negócio.

Esses indicadores podem ser qualitativos ou quantitativos, o importante é que sirvam como referência para o objetivo da pesquisa. Existem diversos critérios que podem ser estabelecidos, principalmente no digital.

Por isso, separamos alguns exemplos de indicadores dentro do Marketing Digital. Veja:

Esses são só alguns dos critérios no digital que podem ser analisados e comparados entre os concorrentes e a empresa que realiza o benchmarking. 

3. Coleta dos dados

A terceira fase a ser trabalhada no benchmarking é a coleta dos dados que serão estudados e utilizados para crescimento e evolução do seu negócio. Por isso, antes as metas precisam estar bem traçadas.

Vale ressaltar a importância de manter a ética e conseguir as informações necessárias de forma totalmente legal, com a permissão dos concorrentes. Além disso, garantir a confidencialidade.

Existem diversas ferramentas que podem ser utilizadas para coletar esses dados, um exemplo é o Google Analytics, desenvolvido pela maior rede de busca da internet atualmente.

4. Análise das informações coletadas com base nos critérios estabelecidos

E então, chegamos a uma das etapas mais importantes para alcançar resultados positivos com o benchmarking: a análise dos dados. Afinal, de nada adianta coletar informações e não saber fazer a comparação.

Nessa análise, os profissionais da área devem fazer relações entre as empresas concorrentes e a sua. Pensando no que de fato é relevante e pode ajudar no crescimento do negócio.

5. Elaboração de um relatório final

Depois de realizar todas as fases anteriores, a indicação é criar um relatório com as principais considerações das análises e comparações realizadas. Identificando assim, os pontos positivos e negativos que sua empresa precisa melhorar.

Além disso, esse relatório ajuda a reforçar quais as oportunidades a serem utilizadas e estratégias que a equipe vai desenvolver para corrigir os erros e potencializar as qualidades.

Para isso, algumas ferramentas podem ajudar a tornar a atividade mais prática, como por exemplo o SimilarWeb e o Kout.

Erros cometidos no benchmarking

Mesmo que a aplicação da ferramenta ofereça muitos benefícios a empresa, é preciso tomar cuidado para não cometer erros que podem prejudicar o andamento do processo e os resultados atingidos.

Por isso, é importante dizer que o benchmarking não é algo que deve ser feito apenas uma vez e nunca mais ser trabalhado. Trata-se de um monitoramento constante para adquirir boas referências.

Além disso, a cautela com as métricas utilizadas é essencial para que as análises sejam feitas corretamente. Assim como as ferramentas usadas para essa atividade, a fim de garantir resultados reais.

Por fim, podemos citar que um dos grandes erros é coletar todas as informações, criar um planejamento estratégico, mas não colocar em prática as ações necessárias. Dessa forma, dificilmente haverá alguma mudança.

Conclusão

Diante de tudo aqui falado, foi possível perceber que o benchmarking é uma tarefa trabalhosa, mas que pode render bons frutos aos interessados. Para isso, é necessário dedicação no processo.

Conseguir manter os princípios da ferramenta e seguir as etapas necessárias é fundamental para atingir sucesso com essa estratégia. Os dados coletados unidos a uma boa análise e um plano de ação podem ajudar no crescimento da empresa.

Que tal usar o benchmark para acelerar o seu negócio? Esperamos que esse conteúdo tenha tirado as suas dúvidas sobre o tema, agora é preciso colocar as dicas em prática!

Junte-se a mais de 50.000 empresários

Seja o primeiro a saber quando publicarmos um novo post!

Ahh! Gostou deste artigo? Não esqueça de compartilhar.
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter